Faça parte da minha lista de e-mails e acompanhe todas as atualizações!

Saiba o que causa o Transtorno de Pânico e como tratar essa síndrome


O transtorno do pânico é uma doença que atinge entre 2% a 4% da população mundial segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Suas principais características são medos e ansiedades súbitos, que trazem vários sintomas que mexem com a parte física e mental do paciente. O medo de morrer, por exemplo, é um dos principais relatos de quem tem a doença.

Contudo, muitas pessoas ainda não sabem do que se trata o transtorno do pânico – que atinge homens, mulheres, ricos, pobres, jovens e idosos, sem se apresentar como algo exclusivo de um grupo. Neste artigo, falaremos mais sobre o que causa o transtorno de pânico e como tratar essa síndrome.

Causas

Entre os principais sintomas da patologia estão o coração acelerado, falta de ar, muito frio ou calor, tremores constantes, ansiedade aguda, medo em inúmeras situações, fobia social e vários outros sinais. Suas causas ainda não são totalmente claras, pois é uma junção de fatores psicológicos, emocionais e físicos que contribuem para o desenvolvimento da patologia.

Por outro lado, a literatura médica observou uma série de características que contribuem para o desenvolvimento da síndrome. Entre eles estão:

- Questões genéticas/hereditárias;

- Fatores ambientais;

- Estresse de forma aguda ou corriqueira;

- Utilização de certos medicamentos para controlar a ansiedade;

- Hábitos nocivos como o alcoolismo e consumo de drogas;

- Alterações neurais.

Além disso, há outros fatores que podem contribuir para que o transtorno de pânico avance, principalmente quando há as predisposições acima descritas. São eles:

- Experiência traumática, como perda de um ente querido ou se envolver em acidente;

- Abuso sexual durante a infância ou adolescência;

- Ser ‘colocado a prova’ em situações que geram corriqueiros estresses.

Como tratar?

Para os psiquiatras que estudam essa síndrome, é importante que cada caso seja analisado individualmente para encontrar as origens do problema e, assim, direcionar o tratamento ideal para o perfil do paciente. Medicamentos prescritos e terapia, por exemplo, são as duas formas mais comuns para tratar a doença.

O tratamento do transtorno de pânico é gradual. O primeiro passo é diminuir as crises de ansiedade, dando mais autonomia, confiança e melhor qualidade de vida ao portador da síndrome. Na sequência, busca-se eliminar qualquer traço patológico que o transtorno causa, pensando sempre em evitar reincidências.

- Com medicamentos. Trata-se o paciente a partir de remédios antidepressivos, que ajudam a reduzir a ansiedade. Inibidores da receptação de serotonina, neurotransmissor que regula inúmeras funções, como humor, sono, apetite e ritmo cardíaco, são os mais indicados pelo psiquiatra nesse caso.

- Com terapia. O método mais utilizado entre as diversas formas de tratamento psicológicos do gênero é a psicoterapia. Ela irá identificar as origens da doença e os mecanismos que o próprio paciente possui para superar o transtorno de pânico. Combinado aos medicamentos, a psicoterapia pode acelerar o tratamento.

Não é ansiedade. É uma doença

Por fim, vale destacar: o transtorno de pânico não é um surto de ansiedade, mas uma doença que precisa ser tratada e acompanhada por família e amigos. Ajudar uma pessoa nessa situação também é, comprovadamente, uma das melhores formas de acabar com a patologia o quanto antes – que pode influir até mesmo em pensamentos suicidas e depressão profunda.

Você sofre ou conhece alguém com transtorno de pânico? Não deixe de tratar a síndrome e melhorar a qualidade de vida agora mesmo: entre em contato com a Psicóloga Claudete Carvalho por e-mail ou telefone e marque sua consulta. Atendemos em Guarulhos - SP.


Posts Destacados
Posts Recentes
Siga na Redes Sociais
  • Facebook Long Shadow
  • Instagram Social Icon
  • RSS Social Icon
Procure por Tags
Nenhum tag.