Faça parte da minha lista de e-mails e acompanhe todas as atualizações!

Afinal, existe cura para a bipolaridade?


Afinal, existe cura para a bipolaridade?

A bipolaridade é uma doença que atinge cerca de 2 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Saúde. Caracteriza-se por alterações bruscas de humor sem motivo aparente que prejudicam a qualidade de vida de quem sofre com o transtorno. Entenda mais sobre a doença e saiba se existe cura para ela.

Quais são as características de quem sofre com transtorno de bipolaridade?

O transtorno de bipolaridade também é conhecido como TAB (transtorno afetivo bipolar). As principais características da doença são: alterações bruscas de humor, que incluem períodos de extrema tristeza alternados com episódios de muita alegria e agitação.

Nos períodos de tristeza, o indivíduo pode sofrer com sentimentos depressivos e suicidas. Já nos momentos de euforia, conhecidos como mania ou hipomania, a pessoa pode se expor a diversos riscos por conta da impulsividade incontrolável.

Esses períodos são conhecidos como crises e o intervalo entre uma e outra varia de paciente para paciente. As alterações de humor nem sempre têm motivos aparentes, mas é possível prever alguns gatilhos emocionais que pioram os quadros de depressão ou euforia. É muito comum que os sintomas afetem o pensamento e até mesmo a fala do indivíduo, que pode ter discursos diferentes da realidade.

Bipolaridade tem cura?

O transtorno bipolar não tem cura. Seu aparecimento tem origem genética, mas outras condições podem agravá-lo ou fazer com que apareça mais cedo. É o caso de muita exposição a estresse, conflitos familiares e outros problemas que afetam a saúde mental do indivíduo.

Mesmo que não tenha cura, a doença pode e deve ser controlada. Deste modo, o indivíduo pode viver normalmente em sociedade, sem prejuízo. Geralmente utilizam-se remédios que controlam os períodos de crise, como antidepressivos e estabilizadores de humor. Mudanças nos hábitos de vida como parar de beber, fumar e praticar atividades físicas também fazem parte do tratamento e ajudam a controlar os sintomas da doença.

É muito importante realizar o tratamento, já que a bipolaridade é uma doença grave. Quando não tratada, o indivíduo pode ter sérios problemas em todas as dimensões de sua vida por conta dos sentimentos excessivos. A psicoterapia é essencial, junto com a terapia medicamentosa, para que o paciente consiga controlar seus impulsos e prever alguns momentos de crise.

O autoconhecimento é essencial para trazer mais qualidade de vida aos pacientes que sofrem com esta condição. Além disso, a psicoterapia pode ser importante para a família do paciente, já que a preocupação com o portador de bipolaridade pode gerar bastante desgaste emocional.

Vale dizer que a doença pode atingir pessoas de todas as idades, ainda que seja mais comum na fase jovem do indivíduo. Por isso, aos primeiros sinais do transtorno é importante procurar ajuda médica. Por apresentar sintomas semelhantes aos de outras doenças, é importante procurar por profissionais de confiança para que o diagnóstico seja feito de maneira correta. Além disso, a dosagem da medicação, que pode variar de acordo com as crises, também precisa ser feita de forma cuidadosa, para evitar que uma crise se sobreponha a outra.

Para saber mais, entre em contato conosco e agende uma consulta!


Posts Destacados
Posts Recentes
Siga na Redes Sociais
  • Facebook Long Shadow
  • Instagram Social Icon
  • RSS Social Icon
Procure por Tags
Nenhum tag.